Eu adoro descobrir livros perdidos.

No outro dia estava eu muito bem a arrumar as estantes cá de casa até que encontrei dois livros, espetaculares, completamente perdidos numa qualquer estante, a ganhar pó e mesmo com um aspeto que se não fosse eu tira-los dali e colocá-los na minha estante nunca mais saiam dali. Peguei então nos livros e passaram logo a fazer parte da minha estante, espero ler esses livros brevemente e assim que o fizer quero trazer-vos a resenha de ambos.
Mas eu estou para aqui a falar e ainda não vos contei que livros foram estes pois não?

  Memorial do Convento
Autor: José Saramago.
  Eu sei, eu sei, como é que eu deixei este grande clássico de José Saramago passar despercebido naquela estante (?) , ainda por cima é um clássico daqueles que eu quero muito ler (até já vos tinha contado isso ). Bem, agora já está na minha estante e a sua leitura é para breve, espero eu.
Sinopse:

” Era uma vez um rei que fez promessas de levantar um convento em Mafra… Era uma vez a gente que construiu esse convento… Era uma vez um soldado maneta e uma mulher que tinha poderes… Era uma vez um padre que queria voar e morrer doido. Tudo “era uma vez”, logo a começar por D. João quinto do nome na tabela real, irá esta noite ao quarto da sua mulher, D. Maria Ana Josefa, que chegou há mais de dois anos da Áustria para dar infantes à coroa portuguesa e até hoje não emprenhou (…) ”

Um momento inesquecível 
Autor: Nicholas Spark
Eu já queria ler um livro deste autor faz muito tempo, mas como ainda tinha que o comprar acabava por nunca mais o ter, fiquei super surpreendida quando encontrei o livro: “Um momento inesquecível” pode-se dizer que foi mesmo a “cereja no topo do bolo”.

Sinopse:
“Sublime e mágico, o mistério inesperado de haver agora um mundo onde antes era o nada; e o mesmo inesperado mistério do irromper, pujante, do primeiro amor. Eram longínquas as afinidades que os poderiam aproximar. Ele, o filho de uma mulher tradicional, a tentar aproveitar ao máximo a liberdade que a pequena cidade de Beaufort, na Carolina do Norte, lhe proporciona antes do ingresso na universidade. Ela, a filha do Pastor, está longe de ser a adolescente típica, anda sempre acompanhada de uma Bíblia, e passa os verões no Campo da Igreja. Mas o amor é clarividente, capaz de ver alianças nas mais gritantes disparidades e, aos dezassete anos, Landon e Jamie apaixonam-se.”

   Mais posts deste tipo: AquiAqui, Aqui ou Aqui .

Comparações

“A Azul tem melhores notas do que tu.” , “A Amarela é mais magra do que tu. ” , “A Vermelha sabe fazer aquilo melhor do que tu.” , “A  Laranja tem mais paciência do que tu. ” ,  “A Preta tem menos celulite do que tu.” , “A Verde é mais bonita do que tu.” (…)

Nunca gostei de figuras de estilo, nunca gostei de as estudar, mais especificamente sempre detestei as comparações. Nunca vi a necessidade de comparar a coisa x com a y, a coisa x é a coisa x, e nunca será a coisa y. Nunca percebi o porque de compararem as coisas, qual a necessidade disso… As coisas e as pessoas são diferentes umas das outras e não podem ser iguais, nunca serão iguais. Então onde está a necessidade de as compararmos?

Para que é que vamos dizer que a coisa x é mais bonita que a y, se são dois seres completamente diferentes. Isto sempre me fez uma confusão extrema, nunca fui capaz de encaixar na minha cabeça as comparações que os outros fazem acerca de tudo e de todos, não digo que sou uma santa e que não comparo coisas, pessoas, animais ou lugares. Mas existe uma altura que farta, farta de ouvir comparações, farta de ser comparada, farta de fazer comparações.

Pior do que as comparações que os outros fazem acerca de nos, são mesmo as comparações que inconscientemente nos fazemos acerca de nos mesmos. ” A Castanha está mais magra do que eu, quem me dera ser como eu.” , “A Roxa  tem cá um rabo, quem me dera ser como eu.” , “A Rosa é a queridinha dos professores, quem me dera a mim ser como ela. ” Tu és tu mesma, e não tens que ser nem a Castanha, a Roxa, a Rosa, a Riscas ou a Bolinhas. Se achas que não estás bem como estás faz o necessário para mudares, mas porque tu queres ser melhor, não para seres igual a outras.

70’s again

A verdade é que na estação anterior já se veio a notar a influência do estilo típico dos anos 70 na moda um pouco por todo o mundo. Na hora de irmos às compras as lojas estavam cheias de peças deste estilo e era muito rara onde isso não acontecia.
Vão-se preparando pois esta estação trouxe consigo de uma vez por todas o estilo dos anos 70, que veio para ficar.
Tenho a certeza de que ainda há quem tenha no seu armário roupas deste estilo, não é verdade? Vão busca-las já.

Um estilo muito típico dos hippies, com as calças à boca de sino, as calças e calções rasgados, as sandálias rasas, as fitas para os cabelos e os colares.
Padrões florais, e roupas largas vão ser chaves para este estilo. Assim como os óculos redondos tão típicos dos anos 70. Como é óbvio as “franjinhas” também irão estar super em alta nesta estação.

Usem e abusem dos acessórios num estilo de muita “peace and love”.

Resenha: Perfume BlackBerry Eau de Toilette

Olá a todos, hoje trago-vos uma resenha de um perfume da Eau de Toilette (já vos tinha falado nele nos produtos terminados de Abril ).
Quando eu fiz anos um amigo meu ofereceu-me o perfume BlackBerry Eau de Toilette, quando olhei para o perfume achei que iria gostar bastante, pois tinha uma “embalagem” linda e uma cor roxa que me conquistou logo. Mas só quando o cheirei pude ter a confirmação de que estava certa.

O produto:
BlackBerry Eau de Toilette.
Spray, 100 ml.
Amora.
 

  O que diz a marca:
Intendo e delicado aroma de amoras silvestres que envolvido numa fragrância deliciosa!
O segredo do selvagem blackberry irresistível, crocante, estourando com suco delicioso, a amora silvestre é um convite ao prazer. Seu sabor único, espumante e fresco, resume o seu encanto natural. A sua fragrância intensa e delicada suaviza a pele e deixa um tom suave.

  A minha opinião:
Como já disse quando recebi o perfume percebi logo que ia gostar dele, e as imagens provam isso mesmo, pois já o terminei, infelizmente.
O perfume tem um cheiro fantástico a amora, nada enjoativo e como a própria marca referiu super suave.
O produto durou-me cerca de seis meses, o que pode variar, obviamente com a quantidade que se usa diariamente.

  Onde podem comprar:
  Comecei o post por referir que me tinha sido oferecido por um amigo, o que é verdade, mas também o podem comprar a uma revendedora da Eau de Toilette ou no online Aqui.
Custa cerca de 14 euros e eu aconselho a sua compra pois tem um cheiro fantástico.

Maratona Arrasta Pé Literário

Muito bom dia a todos.

Acabei agora mesmo de entrar no blog apenas uma leitura da Mariana e vi um post acerca de uma maratona literária que ela irá realizar, mais especificamente trata-se da Maratona Arrasta Pé Literário. 

Fiquei logo com uma imensa vontade de também eu fazer esta maratona, e é mesmo isso que hoje vos vim anunciar, irei hoje mesmo iniciar esta maratona, por volta das onze da noite

Basicamente a Maratona Arrasta Pé Literário consiste em durante 10 dias sermos capazes de ler 1500 paginas. Os livros são completamente à nossa escolha e o número de livro também.

Então eu selecionei oito livros para entrarem comigo nesta maratona.

Livros que vou continuar a ler ou mesmo terminar:

  • A História da Rapariga Bonita (Rachel Simon) : ler 251 páginas (terminar)
  • Escondida (P.S Cast e Kristin Cast) : ler 175 páginas (terminar)
  • Prometo Falhas (Pedro Chagas Freitas) : ler 125 páginas (terminar)
  • Frutos Proibidos (Sylvia Day) : ler 132 páginas (terminar)
  • Memorial do Convento (José Saramago) : ler 200 páginas.

Livros que vou começar a ler:

  • Os maias (Eça de queirós) : 300 páginas
  • Um momento Inesquecível (Nicholas Sparks) : 155 páginas
  • Veronika Decide Morrer (Paulo Coelho) : 173 páginas)

Total de paginas: 1511.

Dia em que começo a ler: 22-06 (23h)

Dia em que acabo de ler: 02-07 (23h)

Despedida Final

Olá meu querido.

Já se passou algum tempo desde que te conheci, não sei precisar quanto tempo ao certo, na verdade não o quero fazer, não me quero lembrar de como tudo começou, para não me virem as nossas boas memorias à cabeça. Já foi há uma eternidade que foste embora, a escolha foi tua, podias perfeitamente ter ficado, mas era mais fácil mudares de namorada todas as semanas, e ires sair com os teus amigos para a bebedeira, do que ficares comigo, não é verdade?

Não penses que te escrevo para dizer que tenho saudades tuas, estaria a mentir, fizeste-me demasiado mal, ao te ires embora, para eu ser capaz de ter saudades. Sei perfeitamente que não foste embora de um dia para o outro, embora na época me tenha parecido isso, hoje sei reconhecer que foi aos poucos e poucos que foste indo. Não te culpo inteiramente pela tua partida, reconheço que também tive culpa, afinal eu é que me meti contigo, eu é que me apaixonei, eu é que quis mais do que uma amizade, eu é que achei que seria capaz de te mudar e fazer ficar.

Foi nas pequena coisas que tu foste indo embora, nas mensagens não respondidas, nas chamadas não atendidas, nos encontros desmarcados, na falta de carinho, na falta de conversas, na falta de paciência, no eu  precisar de ti e tu não estares. Eu sabia o que estava a acontecer, eu sabia que te estava a perder, mas neguei, é óbvio que neguei, afinal tu andavas cansado, cheio de trabalho, com demasiado stress, muitas preocupações, sem tempo (…) a minha cabeça inventou mil e uma desculpas para as tuas falhas, só agora vi a realidade.

Devo-te um pedido de desculpas por ter insistido com as mensagens, com os telefonemas e com os encontros, afinal tu só querias as festas e as curtes, e eu não te deixava tempo para isso, teria sido mais fácil se eu te tivesse dado logo o passaporte para a viagem de ida, mas na altura eu não me apercebi e insisti para que voltasses.

Quando foste embora não foram tempos fáceis para mim, pensei que ias voltar, mas tu não voltaste, e eu devo-te também um obrigado por isso, um obrigado pelo passaporte que compraste ser só de ida. Ainda bem que foste e não voltaste.

Ao menos foste para algo que te fez feliz, para essas festinhas, para essas trocas de namoradas semanais e para essas garrafas de vodka vazias. Se estas bem assim, eu fico feliz por isso, ao menos estás longe de mim.

Na próxima vez que te vir, não te preocupes não me vou agarrar a ti, a chorar e a pedir que voltes, nem envergonhar-te com uma cena qualquer em frente dos teus amiguinhos, vou simplesmente sorrir, e manter-me distante, pois foi a distância que me permitiu estar bem sem ti.

Sem saudades, uma qualquer que já namoraste.

Resenha do filme: 50 Shades Of Grey

  Hoje venho falar do filme mais recente que vi, na verdade o acabei de ver agora: Cinquenta Sombras de Grey. É um filme já conhecido de todos nós, em Portugal esgotou salas de cinema de forma consecutiva durante muito tempo… Infelizmente eu não tive a oportunidade de ir ver ao cinema, vi então online.
  

  Titulo: Fifty Shades Of Grey.
  Lançamento: 2015.
  Duração: 125 minutos.
  Género: Drama, Romance.
Sinopse: 
” O filme vem contar a história de Anastasia Steele ela é uma estudante univeristaria do curso de literatura americana e atualmente está com vinte e um anos, uma jovem muito prendada e ainda virgem. Porem num belo dia ela tem um trabalho da escola para se fazer ela precisa de fazer uma entrevista para o Jornal Regional da Faculdade e deve entrevistar o grande e poderoso, ricasso da cidade Christian Grey. Nesse momento ambos começam uma relação muito complexa e intensa: O filme divide descobertas amorosas e sexuais, Anastasia vai conhecer os misteriosos prazeres subscuros e sadomasoquismo, ela se torna um objeto completo de submissão de ninfomaníaco Grey. “

  Cinquenta Tons de Cinza Legendado
  Minha opinião sobre o filme: Existiu uma grande especulação acerca deste filme, muita gente gostou, mas muitos outros odiaram. Sou sincera, não li o livro, pelo que a minha opinião é única e exclusivamente acerca do filme. 
  Achei um filme interessante, dentro do género de filme em que se encontra. Bem realizado, a historia bem escrita e pensada, com uma sequência lógica, esperarei o próximo filme para assistir. No global gostei do filme, talvez se tivesse lido o livro antes de ver o filme a minha opinião fosse diferente…
  
Onde assisti o filme: Eu vi o filme online no Mega Filmes Online Hd, e assisti legendado, embora com algumas falhas as legendas estavam boas.